18-02-19- Novato: Russi é favorito e falta de diploma não será empecilho

18-02-19- Novato: Russi é favorito e falta de diploma não será empecilho

CÍNTIA BORGES 
DA REDAÇÃO / MIDIA NEWS

O deputado estadual João Batista (PROS) acredita que o colega Max Russi (PSB) seja o favorito para ocupar a cadeira do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

 

A vaga, que é indicação da Assembleia Legislativa, estava sub judice desde 2014 e foi "destravada" pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), no último dia 31 de janeiro.

 

De acordo com o parlamentar, Russi teria hoje dez votos dos 24 deputados, para a vaga na Corte de Contas. Com isso, ele desbancaria Guilherme Maluf (PSDB), que, em sua contagem, teria oito. 

 

“Eu acredito que o favorito seja o Max Russi. O deputado Sebastião Rezende, a principio, tem dois votos - que seriam dele e do deputado Xuxu [Dal Molin]. O deputado Guilherme Maluf, em tese, teria aproximadamente oito votos; e o deputado Max, em torno de 10 votos, que seriam de deputados antigos e alguns novatos”, relatou João Batista em entrevista à Rádio Capital FM na manhã desta segunda-feira (18).

O nome de Max vem ganhando força nos últimos dias e ele tem sido encorajado por um grupo de deputados para pleitear ao cargo.

 

Uma das razões seria o desgaste de Maluf, que na semana passada virou réu na ação penal resultante da Operação Rêmora, que investigou desvios na Secretaria de Estado de Educação durante a gestão Pedro Taques (PSDB).

 

Batista sinalizou que, entre os parlamentares, Russi é o seu favorito. Pesa conta o postulante, no entanto, o fato de não ter curso superior. 

 

“Já existe uma jurisprudência do STF [Supremo Tribunal Federal] que diz o seguinte: que tenha nível superior ou dez anos comprovados de gestão pública. O deputado Max Russi coloca que já foi vereador, prefeito de Jaciara, deputado em dois mandatos, secretário de Estado, e esse tipo de conhecimento em gestão ele já tem”, afirmou.

 

Indicação da Assembleia 

 

Conforme João Batista, há um entendimento entre os deputados de que o indicado deve ser um parlamentar. Isso excluiria nomes como o do promotor de Justiça Mauro Zaque, e dos juízes Eduardo Calmon e Mirko Vicenzo.

 

“Um sentimento, que é quase unanimidade, é de que a vaga é da Assembleia Legislativa e que tem que ir um deputado. Então, na hora de votar, temos que analisar dessa forma”, disse.

 

Indicações

 

O prazo para indicação de nomes ao TCE foi prorrogado para terça-feira (19) pelo presidente da Assembleia, Eduardo Botelho (DEM). Os nomes devem ser protocolados junto à Mesa Diretora da Casa. Cada parlamentar tem o direito de indicar uma pessoa ao cargo de conselheiro.

 

Posteriormente, os perfis serão analisados pela Comissão de Constituição, Redação e Justiça (CCRJ). 

 

Em seguida o Colégio de Líderes – que é composto pelos 24 parlamentares - se reunirá e ouvirá a explanação de cada candidato. Desta reunião, sairá um nome a ser apreciado no plenário em votação secreta.

 

Até o momento, estão oficializados os nomes do deputado Guilherme Maluf (PSDB), que foi indicado pelo colega Ondanir Bortolini (PSD), do contador Luiz Mário de Barros, ex-controlador-geral de Cuiabá, cuja indicação partiu do deputado Wilson Santos (PSDB), e o de Sebastião Rezende (PSC), que se autoindicou.