17-04-2012-"É mais fácil falar com Silval que com os secretários"

Executivos exigem mais atenção por parte do 1º escalão; governador reforça cobrança

AMM

                                                                                                                

Filemon Limoeiro reclamou de staff, e Silval cobrou mudanças de comportamento

LAÍSE LUCATELLI
DA REDAÇÃO

Os secretários estaduais receberam um “puxão de orelhas” duplo, na manhã desta segunda-feira (16), em solenidade no Palácio Paiaguás. O presidente em exercício da Associação Mato-grossense de Municípios (AMM), Filemon Limoeiro (PPS), prefeito de São Félix do Araguaia (1.200 km a Nordeste de Cuiabá), reclamou da falta de atenção dos secretários para com os prefeitos do interior. O governador Silval Barbosa (PMDB), por sua vez, reforçou a cobrança do prefeito.

O presidente reclamou que, geralmente, é mais fácil falar com Silval do que com alguns secretários. “Todos os prefeitos reclamam. Muitas vezes, conseguimos falar com o governador e não conseguimos falar com o secretário. Precisamos que vocês nos atendam, nem que seja para dizer que não dá para atender nossas reivindicações”, reclamou.

Limoeiro ressaltou que a maior dificuldade é dos prefeitos que são de municípios distantes da Capital. “É muita difícil para nós, que viemos do interior. Pra quem mora aqui em Cuiabá é fácil, tem o tempo todo [para se reunir com os secretários]. Nós temos 2 ou 3 dias para ser atendidos e, muitas vezes, não conseguimos falar com nenhum secretário, e vamos embora chateados. Isso é muito ruim para nossa região”, argumentou.

O presidente da AMM aproveitou para alertar aos secretários e ao governador que trata-se de uma via de mão dupla e, que no período eleitoral, todos precisam do apoio do interior. “Eu sempre digo que nós somos responsáveis pela eleição de todos os governadores. É lá da ponta que começa. Então, por isso, eu gostaria que os secretários valorizassem mais os prefeitos”, declarou.

Filemon Limoeiro finalizou dizendo que a reclamação não era dirigida a nenhum secretário específico, mas sim a todos. “Não estou aqui reclamando de nenhum secretário, só estou pedindo que, pelo menos, nos atendam com mais agilidade”, concluiu.

O governador aproveitou a deixa e chamou a atenção dos secretários. “Aqui está boa parte do secretariado. Cabe a mim reiterar o pedido aos secretários para que deem atenção aos prefeitos”, cobrou.

Convênios

Na ocasião, foram assinados convênios com 11 municípios do Estado (Alto Taquari, Figueirópolis D’Oeste, Indiavaí, Itaúba, Poconé, Nobres, Nova Nazaré, Paranatinga, São Félix do Araguaia, Vila Bela da Santíssima Trindade e Vila Rica), totalizando R$ 5 milhões.

Os recursos são de emendas do senador Jayme Campos (DEM) e deputado federal Julio Campos (DEM), e foram para obras de Infraestrutura, como pavimentação asfáltica, drenagem de água da chuva e construção de praças.

Além da crítica à postura dos secretários, Filemon aproveitou para reclamar das dificuldades dos municípios em conseguir recursos para prover serviços básicos, como Saúde, aos cidadãos. “São tantas necessidades que nós conseguimos o atendimento de uma demanda e já deixamos outra na mesa para ser atendida”, brincou.