QUEIMADAS URBANAS ATORMENTAM A VIDA DA POPULAÇÃO NO MUNICÍPIO DE PONTAL DO ARAGUAIA-MT.

 

A prática de queimadas urbanas é um costume, no município de Pontal do Araguaia-MT. O que a maioria não sabe é que as queimadas, aparentemente inocentes, representam um fator importante na degradação da qualidade do ar das cidades e, ainda, contribuem para a emissão de CO² (gás carbônico) na atmosfera e para o agravamento do efeito estufa. Além de ilegais, são nocivas à saúde e ao bem-estar da população.

 

Perigosas, tóxicas e ilegais as queimadas urbanas é uma prática-crime muito freqüente em Pontal do Araguaia-MT e em grande parte dos municípios brasileiros.

 

O método geralmente é utilizado para fazer a limpeza de terrenos vazios após a roçarem, a poda de árvores e até mesmo depois da varrição do quintal. Mas, também são comuns, as pessoas usarem o fogo para dar fim a móveis e utensílios domésticos, lixo, calçados, vestimentas, brinquedos, pneus e papel em geral resultado: a cada dia que se passa, com a chuva cada vez mais escassa, vai ficando cada vez mais difícil respirar.

 

A população precisa conhecer o que diz no Código de Posturas do Município de Pontal do Araguaia-MT se é que realmente existe. 

 

A reportagem do site www.pontaldoaraguaianews constatou que as queimadas urbanas ocorrem geralmente nos horário mais quente do dia o que vem tornando a vida dos que realmente se preocupa insuportável.

 

O bom exemplo de Macelândia município do Mato Grosso bem que poderia ser seguido pela prefeitura de Pontal do Araguaia. O projeto "Marcelândia 100% Legal" conquistou a redução de 94% dos focos de calor/queimadas no primeiro ano de implantação (2008) e de quase 50% em 2009 em relação ao ano anterior.

 

Inicialmente o juiz de Direito Dr. Anderson Candiotto autorizou a atuação dos oficiais de justiça da Comarca como fiscais das queimadas urbanas. Esse trabalho foi tão eficiente que foi estendido a todas as comarcas do Estado. Foi criada no município a brigada comunitária e destinados caminhões pipa, tratores e agentes em regime de plantão 24 horas.

 

Foi assinado um compromisso sócio-ambiental com o envolvimento do Ministério Público, Ordem dos Advogados do Brasil subseção local Defensoria Pública, Polícias Militar e Civil, autoridades locais e entidades de classes que atendeu maciçamente ao convite para o combate às queimadas urbanas e ao desmatamento.

 

O projeto ambiental desenvolvido na Comarca de Marcelândia foi o vencedor na categoria "Município" do Prêmio Chico Mendes de Meio Ambiente, edição 2009.

 

 

Texto: Ivone Lima

Pontaldoaraguaianews.com

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário