MT receberá R$ 8 mi adicionais para cirurgias e redução de filas.

De Brasília – Bruno Cassiano

Foto: Reprodução

 

Mato Grosso irá receber um adicional de R$ 8 milhões do Ministério da Saúde para aumentar cirurgias eletivas, que são aquelas agendadas antecipadamente, e reduzir filas no Sistema Único de Saúde (SUS). Essa estratégia do órgão visa à realização desses procedimentos até o fim de 2012. São R$ 550 milhões para todo o país.

Os recursos serão aplicados nas especialidades de maior demanda e naquelas escolhidas pela secretaria de Saúde do Estado conforme a realidade do município. Do total para a região, R$ 277,3 mil serão destinados aos municípios com 10% ou mais de sua população em situação de extrema pobreza. A portaria que estabelece as diretrizes e recursos por estado foi publicada, no Diário Oficial da União.

“Com este novo investimento, além dos recursos habitualmente previstos para o custeio de cirurgias, queremos ampliar o acesso às cirurgias eletivas. Estamos dando um importante passo para reduzir o tempo de espera do paciente”, destacou o secretário de Atenção a Saúde do Ministério da Saúde, Helvécio Magalhães.

“Além disso, estamos inovando ao priorizar os municípios com populações de extrema pobreza, que necessitam de maior atenção por parte do governo”, reitera.

Segundo ele, a portaria foi construída em conjunto com os gestores dos estados e municípios e, por esse motivo, parte dos recursos será alocada a partir de uma avaliação das Secretarias de Saúde sobre as demandas locais.

Do total de recursos previstos para todo Mato Grosso, R$ 5,4 milhões estão destinados às cirurgias eletivas selecionadas como prioritárias, de acordo com as demandas apresentadas pelo estado.

Os recursos são para realização de cirurgia de catarata e tratamento de varizes, cirurgias ortopédicas e nas áreas de urologia, oftalmologia e otorrinolaringologia, incluindo retirada de amígdalas.

Também atenderão as demandas apresentadas pelos gestores estaduais, conforme a realidade das regiões. A verba adicional também será para ampliar o acesso a cirurgias de cataratas nos municípios com população em situação de extrema pobreza. (Com informações do Ministério da Saúde).

 

Por: Ivone Lima

Pontaldoaraguaianews.com