Frigorífico JBS anuncia férias coletivas a todos os trabalhadores.

Alegando oferta escassa de bois no mercado, o grupo JBS deu férias coletivas de 20 dias aos funcionários da unidade de Alta Floresta. O fim do período de férias, em outubro, coincidirá com o possível aumento da oferta de bovinos.

No entanto, o presidente do Sintracal (Sindicato dos Trabalhadores em Carnes e Laticínios), Luiz Cardozo questiona a justificativa de concessão de férias coletivas por causa da falta de gado para abate, principalmente, na região que concentra o maior rebanho do Estado. As informações são de que outras unidades do JBS também paralisaram suas atividades. Somente em Alta Floresta mais de 250 trabalhadores entraram em férias desde ontem, segunda-feira.

A grande preocupação do representante da categoria é que em muitos casos, quando a JBS anunciou férias coletivas em outras unidades, no retorno muitos trabalhadores acabaram sendo dispensados. "É um dos motivos que nos deixa preocupado, mas vamos esperar para ver o que vai acontecer. Eles deram a palavra que tudo irá voltar a sua normalidade a partir do dia 24 de outubro", disse Luiz Cardoso.

O JBS é um dos maiores frigoríficos de abates bovinos no Brasil. Recentemente o grupo suspendeu a desossa de bovinos nas plantas de Água Boa e Alta Floresta, em Mato Grosso, e Pimenta Bueno (RO).

A reportagem do jornal O Diário apurou que devido ao longo período de seca o gado acabou perdendo peso e, por isso, os produtores não querem fazer a entrega para abate.

Segundo Luiz Cardoso, os representantes do JBS repassaram ao Sintracal que as férias coletivas vão culminar com a aproximação do período de chuvas mais intensas, possibilitando que as pastagens melhorem e o gado ganhe mais rentabilidade para voltar às atividades normal de abate.

"Esperamos que tudo aconteça como foi falado pelos diretores do JBS e que não haja nenhuma alteração", completou Cardoso.

Alex Cordeiro

 

Por: Ivone Lima

Pontaldoaraguaianews.com

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário