29-12-2011-Sem receber, médicos de VG pedem demissão.

Insatisfeitos com os constantes atrasos salariais ocasionados pelo não repasse da verba indenizatória (VI), médicos do Sistema Único de Saúde (SUS) de Várzea Grande começam a pedir demissão e o atendimento no Pronto–Socorro que já era precário deve piorar ainda mais. Até o momento, 6 médicos e 1 anestesista já pediram o desligamento nestes últimos dias, após a categoria ter se reunido, na semana passada, com o secretário municipal de saúde e com a diretoria do Sindicato dos Médicos de Mato Grosso (Sindimed), mas nada ter sido definido quanto ao pagamento dos valores atrasados da VI.

Existem ainda, informações não oficiais, de que já tem uma nova lista de médicos que também devem pedir demissão nos próximos dias. Entre os profissionais que pediram o desligamento, estão 5 cirurgiões, 1 ortopedista e um anestesista. Eles atendiam no Pronto-Socorro de Várzea Grande às quartas-feiras e sábados e o atendimento nesses dias deve ficar comprometido. Populares que procuraram atendimento nesta terça-feira afirmaram que até às 11h não havia nenhum cirurgião no PS.

O problema é que o secretário de de Saúde, Marcos José da Silva, já informou que a pasta não tem dinheiro em caixa para quitar a dívida. Assim, ninguém quer prestar serviço no PS, mesmo que seja de forma temporária. Ao GD, o superintendente do PS, Wagner Marcondes afirmou que desde o pedido de demissão dos médicos, já houve algumas tentativas de se firmar contratos temporários com outros profissionais, porém, todos recusaram.

A opção mais viável por enquanto, segundo Marcondes, é aguardar o chamamento dos aprovados no concurso público realizado em novembro. A expectativa é que isso ocorra em janeiro, porém, ainda não existe data para ser publicado o resultado do certame e tampouco a posse que só ocorre após um longo processo burocrático, algo comum em qualquer concurso.

 

Fonte: GAZETA DIGITAL