25-11-2011-Religiosos aprofundam DGAE

Escrito por CNBB

 

O padre Elias Wolff, assessor da Comissão Episcopal Pastoral para o Ecumenismo e o Diálogo Interreligioso da CNBB, aprofundou o texto das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE) com o grupo dos missionários redentoristas de Goiás na quarta-feira, dia 23 de novembro. Os padres e irmãos da congregação atuam também no Distrito Federal, no Tocantins e no Mato Grosso. A reunião foi realizada no Centro de Formação do Santuário de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Goiânia (GO).

As Diretrizes foram apresentadas com o objetivo de ajudar a província dos redentoristas a formular um plano de colaboração no trabalho apostólico, a partir do carisma de sua congregação e em estreita sintonia com a Igreja, junto às arquidioceses de Goiânia e de Brasília, da diocese de Ipameri e de Barra do Garças como também junto às prelazias de Cristalândia e de São Felix do Araguaia, onde os missionários têm comunidades. “A presença do padre Elias foi particularmente significativa para a caminhada do nosso grupo pois reafirmou de maneira simples e direta a grandeza e a força das DGAE para animar nosso trabalho missionário”, disse padre Fábio Bento da Costa, superior provincial dos redentoristas de Goiás...


Os redentoristas chegaram ao Brasil no final do XIX e os pioneiros da missão no centro-oeste eram alemães oriundos da Baviera. Foram convidados a trabalhar no país por dom Eduardo da Silva, bispo da então diocese de Goiás e Dom Joaquim Arcoverde, arcebispo de São Paulo. Aqueles que foram para Goiás, receberam uma tarefa bem definida: cristianizar a romaria do Divino Pai Eterno em um lugarejo que hoje se chama Trindade e se localiza a 18 quilômetros da capital goiana. A cidade de Goiânia nasceu muito depois da chegada dos redentoristas como obra urbana planejada, mas os missionários acudiram as necessidades pastorais da Igreja e assumiram o cuidado de muitas paróquias na região. Hoje, o grupo é composto por cerca de 90 membros e permanece em Trindade e Goiânia, depois de expandir para frentes missionárias mais distantes deste eixo geográfico.

“As DGAE jogam luzes importantes para o prosseguimento da ação missionária dos redentoristas e encontramos nas urgências destacadas dentro do texto oficial um itinerário extraordinário para avaliar e planejar a nossa caminhada. A colaboração do padre Elias nos levou a perceber com maior clareza quais os desafios nos tocam mais de perto”, explica padre Paulo César Nunes de Oliveira, Diretor da Rádio Difusora de Goiânia e um dos coordenadores do encontro. A exposição feita deixou como uma de suas mensagens principais a constatação de que as DGAE devem servir como uma referência constante. Desse modo, além de serem a base na qual se sustenta elaboração dos planejamentos da pastoral das dioceses, movimentos e congregações também são elas que norteiam as necessárias revisão e correções de rumo neste quadriênio.

Os redentoristas da Província de Goiás são responsáveis por duas paróquias na Prelazia de São Felix do Araguaia: Vila Rica e Confresa. Coordenam os trabalhos da pastoral na cidade de Paraíso do Tocantins. Cuidam de duas paróquias na arquidiocese de Brasília: Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no Lago Sul e Santo Afonso, na cidade de São Sebastião. E estão em diversas comunidades na arquidiocese de Goiânia. São eles também que respondem pela animação missionária de três importantes santuários da região: Divino Pai Eterno, em Trindade, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Goiânia e Nossa Senhora das Graças, em Nova Xavantina, no Mato Grosso.

Por: Ivone Lima

Pontaldoaraguaianews.com