23-09-2011-Professor da UFMT é acusado da maior fraude científica do Brasil.

Da Redação - Lucas Bólico

 

Um professor de mestrado em Química e Geociências da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) está sendo acusado de fraude em trabalhos científicos. Esta é a primeira vez que um cientista brasileiro é acusado de fraude e tem trabalhos anulados. No caso de Denis Lima Guerra,  41 anos, foram 11 artigos desqualificados, como destaca a edição deste mês da revista Piauí, na reportagem intitulada os ‘Alquimistas’.

Guerra é acusado de manipular gráficos que representam os resultados das pesquisas. Os trabalhos são sobre alterações na estrutura de materiais que ocorrem espontaneamente na natureza. Ele utiliza argila nos trabalhos.

A matéria revela que a UFMT criou uma comissão investigadora para apurar o caso. O inquérito é presidido pelo vice-reitor Francisco Souto. “Os trabalhos de fato têm muitos problemas e a retratação dos artigos pela Elsevier (editora que havia publicado os trabalhos) procede”, admitiu Souto à Piauí.

“Acontece a duplicação de gráficos e algumas imagens parecem adulteradas. Os professores envolvidos admitem que pode ter havido confusão ao remeter trabalhos para as revistas e podem ter trocado algum gráfico, mas negam enfaticamente qualquer manipulação”, completou.

Guerra nega com veemência ter forjado qualquer dado apresentado no artigo. No entanto, nota da editora que publicou os trabalhos fora do país afirma que “ficou claro que os resultados de ressonância magnética haviam sido manipulados e que os espectros não eram autênticos”.

O regimento da UFMT não prevê qualquer forma de punição para um professor acusado de má conduta cientifica. Foi aberto um procedimento administrativo disciplinar para determinar que medidas serão tomadas contra Denis Guerra, que pode se tornar o primeiro pesquisador da instituição afastado por fraude.

Guerra é formado engenheiro químico pela Universidade Federal do Pará e tem mestrado em engenharia mecânica. É professor-adjunto do Departamento de Recursos Minerais da UFMT e ministra aulas de química e geociências para alunos de mestrado na instituição.

As informações são da edição número 60 da revista Piauí.

 

 

Por: Ivone Lima

Pontaldoaraguaianews.com

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário