22-11-2011-Queda de ponte na MT208 isola três cidades no extremo norte.

Não vamos deixar ninguém passar. Até agora nesta Gambiarra passou carro baixo, seja quem for o senhor não vai passar” ameaçavam os mais de cento e vinte caminhoneiros na ponte conhecida como o 10 na MT 208, aproximadamente 80 quilômetros de Alta Floresta. A ponte isola mais de 30 mil pessoas nas Cidades Nova Bandeirantes e Nova Monte Verde e nas áreas rural dos dois municípios, além de Paranaíta e Apiacás.

“Só vamos concertar amanhã, falta madeira”, afirma um funcionário da empresa responsável pelo remendo na ponte de três décadas responsável por um congestionamento de mais de 180 veículos a espera de seguir viagem.

Ao descobrir que se tratava da imprensa, os caminhoneiros arrumaram duas pranchas, fizeram uma pinguela e liberaram a passagem de nossa viatura de reportagem, implorando: “Levem para o mundo o nosso sofrimento, tem mais de mil bois nestas carretas e caminhões, vão morrer de sede e fome, e somos nós motoristas é que vamos pagar”.

A MT 208, estrada de responsabilidade do Estado, principalmente, nos 220 quilômetros que separa Alta Floresta de Nova Bandeirantes é um verdadeiro câncer da economia: “São 44 quilômetros de asfalto de qualidade ruim, sendo 13 com sinalização boa, 16 com sinalização ruim e 10 sem nenhum tipo de placa ou faixa com cinco curvas perigosas e 5 sem sinalização nenhuma. Nos 15 quilômetros concluídos nos últimos 12 meses, a pista é ruim e já apresenta buracos.

Após percorrer os 45 quilômetros de asfalto, vem pela frente a estrada de terra batida em que a velocidade não ultrapassa a 40 quilômetros por hora. Após Nova Monte Verde, onde há alguns quilômetros de Asfalto dentro do núcleo urbano e placa que diz que serão asfaltado 16 quilômetros, restam 66 quilômetros até Nova Bandeirantes, com dezenas de pontes e bueiros verdadeiras pinguelas que fazem parte do pior trecho da estrada, aparentemente abandonada pelos últimos três governantes do estado.

A imprensa oficial do estado anunciou o asfaltamento de todo este trecho nos próximos três anos. Baseado nos últimos oito anos do governo passado que prometeu asfaltar 20 quilômetros por ano e não cumpriu a promessa, os moradores e caminhoneiros não acreditam mais que a estrada será asfaltada em tão curto espaço de tempo.

Luiz Bacanelo/AVB com JPK

 

Por: Ivone Lima

Pontaldoaraguaianews.com