18-11-2011-Fifa faz vistoria em estádio da Copa em Cuiabá de olho na segurança.

Fonte: DiárioNews

A Arena Pantanal em Cuiabá, que vai receber quatros jogos da primeira fase da Copa do Mundo de 2014, foi vistoriada na tarde desta quarta-feira (16) por uma comissão formada por representantes da Federação Internacional de Futebol (Fifa) e da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos (Sesge), ligada ao Ministério da Justiça.

As autoridades estiveram no canteiro de obras do futuro estádio para saber todas as informações referentes às medidas que o governo do estado tem planejado executar na área de segurança. As informações vão constar em um relatório que será apresentado no prazo de 10 dias à presidente Dilma Rousseff (PT).

O coordenador de segurança da Secretaria Estadual da Copa (Secopa), José Lindomar da Costa, que falou com a imprensa em nome da comissão, explicou que os técnicos receberam informações sobre os projetos que estão sendo elaborados. Ainda segundo Lindomar, eles observaram se o plano de ação de segurança contempla, por exemplo, um plano de evacuação de torcedores em caso de um eventual problema, como será feita a comunicação entre as polícias durante o evento e a organização das pessoas que vão entrar e sair ordenadamente do estádio. Tudo isso deve estar no Plano Master de Proteção e Segurança para Copa do Mundo de 2014 que será elaborado pelo governo do estado.

Os técnicos da Fifa e do Ministério ainda estão em fase de diagnóstico das ações que estão sendo elaboradas e podem fazer sugestões para melhorar o planejamento das 12 cidades-sede. A comissão que esteve em Cuiabá também está responsável pela vistoria nas cidades de Curitiba, Porto Alegre, Belo Horizonte e Rio de Janeiro.

A comitiva é composta pelo coordenador-geral de Planejamento Operacional, Olinto Marcelo, o major Edgar Santos de Jesus, ambos da Sesge/MJ; e o gerente de operações de segurança da Fifa, Carlos Machado. O objetivo da comissão é saber se o espectador vai receber o mesmo padrão de atendimento na área de segurança em todas as cidades.

A visita em Cuiabá deve durar até o próximo domingo (20). Eles vão vistoriar também o Aeroporto Internacional Marechal Rondon, em Várzea Grande, região metropolitana da capital, e os Centros Oficiais de Treinamento (COTs). Na segunda-feira (21), segundo a Secopa, deve chegar à capital uma comissão mais voltada para a área de tecnologia da informação.

Estudo de caso

Paralelamente à visita da comissão ao estádio da Copa, policiais de Mato Grosso discutiram durante um workshop o planejamento do Plano Master de Proteção e Segurança para Copa. Um dos palestrantes foi o tenente coronel Eduardo Henrique de Souza. Ele é consultor da Fundação Atech, que vai assessorar o estado no planejamento da segurança.

Eduardo Henrique apresentou aos policiais do estado as medidas que foram tomadas durante a realização da Copa do Mundo na África, em 2010. Segundo o consultor explicou, a principal ocorrência registrada naquele país durante a Copa foi o crime contra o patrimônio e roubo e furto dos turistas. Também ocorreram muitos incidentes com multidões e também foi registrada uma greve inesperada dos funcionários da área da segurança privada.

Diante deste cenário, para o especialista, o principal desafio dos estados que vão sediar os jogos é criar um plano de ações integradas de segurança envolvendo todas as instituições de todas as esferas públicas. Ele comentou que é preciso pensar no maior número de variáveis possíveis de crimes ou incidentes para evitar algum imprevisto relacionado à segurança pública durante a Copa.

Com base nas informações colhidas pela consultoria na África, Eduardo Henrique trouxe tudo isso para a nossa realidade. Por exemplo, o consultor apresentou um dado que aponta que 64% dos presos no Brasil respondem por crime contra o patrimônio. Já 36% de todos os reeducandos devem ficar presos em média quatro anos e, segundo prevê a legislação, a condenação por crime contra o patrimônio rende pena de no máximo seis anos. Ou seja, segundo o consultor, daqui a dois anos, durante os jogos da Copa do Mundo, alguns podem estar nas ruas e poderão voltar a cometer crimes.

Dentro do planejamento previsto pelo governo do estado já constam previsões de aumento do efetivo da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros. Segundo coronel Joelson Sampaio, da PM, o objetivo é chegar a até 10,5 mil policiais que vão atuar no policiamento ostensivo em Mato Grosso. Já o Corpo de Bombeiro informou que espera elevar de cinco para 13 o número de postos só na região metropolitana da capital do estado.

 

Por: Ivone Lima

Pontaldoaraguaianews.com