18-10-2011-Mato Grosso tem 23 policiais preparados para ações de combate as drogas com uso de cães.

Foto: Marcos Vergueiro/Secom-MT

1º Curso de Adestramento de Cães para Faro de Drogas, da Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecente
O combate ao tráfico de drogas na fronteira, nas rodovias, no mato e na cidade, ganhou reforço de 23 policiais preparados para atuar com cães de faro de entorpecentes. Nesta sexta-feira (14.10), a primeira turma do “Curso de Adestramento de Cães para Faro de Drogas” concluiu o treinamento e recebeu certificado de conclusão do curso, em cerimônia da sede da Diretoria Geral da Polícia Judiciária Civil.

O curso ministrado pela Companhia de Policiamento com Cães, do Estado de Santa Catarina, foi destinado à formação de 10 investigadores da Polícia Civil, um delegado, três policiais militares do Grupo Especializado de Fronteira, cinco policiais militares do Comando Regional II, de Várzea Grande, dois soldados do Exército Brasileiro, um guarda municipal.

O delegado geral da Polícia Civil, Paulo Rubens Vilela, declarou que o Estado de Mato Grosso não tem medido esforços para capacitar as polícias e fortalecer as ações de combate ao tráfico de drogas. “Mato Grosso está de parabéns pela realização desse curso devido sua importância como ferramenta de combate ao narcotráfico”, ressaltou.

O comandante da Polícia Militar de Mato Grosso, coronel Osmar Lino Farias, disse que a Polícia Militar deverá reativar o canil da Instituição, como forma de fazer frente ao combate as drogas. “Quero agradecer Santa Catarina por nos transmitir seus conhecimentos e dizer que estamos sempre prontos para qualquer evento que vise melhorar nosso trabalho”, afirmou.

Com a experiência de 30 anos no emprego de cães em ações policiais, o Canil Central, instalado no município de São José, a 10 quilômetros de capital Florianópolis (SC), conta com 34 cães das raças Pastor Alemão, Pastor Belga Malinois, Labrador, Rottweller e Beagle. A unidade é referência no Brasil e atua na assessoria técnica para instalação de canis, capacitação de policiais e adestramento de animais.

Foi nessa experiência e no sucesso alcançado, que a Delegacia Especializada de Entorpecentes (DRE), da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso, se inspirou quando iniciou em 2009, o trabalho com cães de faro. Agora, a Especializada quer levar o projeto para o interior do Estado com a instalação dos canis setoriais. “Vamos trabalhar para isso. Tenho certeza que faremos um ótimo trabalho com cães na repressão ao tráfico de drogas”, avaliou a delegada Elaine Fernandes, da DRE.

O comandante da Companhia de Policiamento com Cães, major Claudionir de Souza, disse que a parceria com Mato Grosso também trouxe aprendizado para os cinco os instrutores do curso. Ele agradeceu o apoio das Polícias Civil e Militar e do Exército Brasileiro, na estrutura ofertada para realização do curso e alojamento para os instrutores, por parte da PM. “Esse termo de cooperação técnica foi um passo importantíssimo para Segurança Pública, devido a questão da fronteira e Cuiabá ser uma das sedes da Copa do Mundo”, disse.

Durante a cerimônia o major anunciou a disponibilização de quatro vagas, duas para a PM e duas para Polícia Civil, para realização do curso básico de Cinotécnia, destinado ao adestramento de cães, a ser realizado entre 31 de outubro e 9 de dezembro, em Santa Catarina.

Acostumado a realizar abordagens e buscas por drogas em situações adversas na fronteira, o soldado da Polícia Militar, Marcelo da Silva, um dos alunos do curso, disse que com o cão o risco para o policial fica menor devido ao tempo que se economiza em uma busca por entorpecentes. “O serviço fica mais fácil, tanto para nós policiais quanto para quem está sendo abordado. Fica menos desgastante”, disse.

Já o investigador da DRE, Francisnei Dias Ferreira, que há dois anos trabalha com cães, mas até então não tinha a formação necessária, apenas conhecimento adquirido pela internet, declarou que estar mais preparado para lidar com os cães. “As coisas que eu não sabia agora vou complementar na DRE”, afirmou.

Durante o curso, os instrutores utilizaram os cães da DRE e dois das raças Pastor Alemão e Labrador, da 13ª Brigada de Infantaria Motorizada do Exército Brasileiro, onde foram realizadas as aulas práticas do treinamento.

Participaram o encerramento do curso o comandante do Comando Regional de Várzea Grande, Pery Taborelli, o delegado geral adjunto, Sebastião Finotto, a diretora de Atividades Especiais, Lusia Fátima Machado, o tenente coronel Camargo, da 13ª Brigada de Infantaria Motorizada do Exército Brasileiro, o coordenador do Gefron, tenente coronel Antonio Mario da Silva Ibanez Filho, a delegada da DRE, Alana Cardoso (titular), os delegados Gustavo Francisco, Marcelo Felisbino, Alessandra Saturnino, oficiais da PM, soldados, investigadores e escrivães.

POR: LUCIENE OLIVEIRA

 

Publicação: Ivone Lima / pontaldoaragaianews.com