16-11-2011-Desigualdade e potencial de crescimento são paradoxos no Araguaia.

Escrito por Laura Nabuco, Enviada Especial a Querência.

A imagem que os 630 km percorridos durante a terceira viagem da Rota da Integração, da divisa com o Pará até Querência, deixam é da desigualdade na distribuição de renda no Estado. Mais do que logística, as 8 cidades precisam de investimentos em setores básicos: saúde, educação, saneamento e abastecimento de água.

Enquanto moradores de municípios como Serra Dourada, o menor do Estado, passam boa parte da semana sem água nas torneiras, outros como em Querência, mais ao Sul, parece uma miragem no meio do deserto. Responsável por 51% da economia do baixo Araguaia, a cidade de pouco mais de 13 mil habitantes acaba se tornando o ponto de salvação dos moradores dos outros municípios da região.

Ao mesmo tempo em sofre para atender a sua demanda e a dos demais, principalmente na área da saúde, a cidade serve como exemplo do potencial que a região do Araguaia guarda em suas terras.

Por enquanto, a esperança de que novas Querências surjam é depositada na pavimentação asfaltica. Não apenas da BR-158 que aguarda por mais de 20 anos para ser concluída, mas das estradas estaduais, que ligam uma cidade à outra, com economia no tempo de viagem.

Outros já sonham com a criação do Estado do Araguaia, uma alternativa para diminuir as distâncias entre os grandes centros e os municípios do chamado “Vale dos Esquecidos”.

Toda a distância e inconvenientes das rodovias de terra batida, na chuva há os atoleiros e, na seca, a poeira levantada aumenta o índice de acidentes, valem à pena quando se vê as belezas naturais do local. Até mesmo as áreas menos exploradas pelo turismo têm seus atrativos.

 

Por: Ivone Lima

Pontaldoaraguaianews.com

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário