Forraram o chão de bala‘, diz refém de assalto a banco.

 

Cerca de 50 pessoas foram mantidas reféns de assaltantes durante o roubo a duas agências bancárias no município de Tapurah, a 414 quilômetros de Cuiabá. Uma das vítimas foi o comerciante Valmenir Cândido, que estava dentro de uma das agências. Em entrevista ao G1, Cândido descreveu momentos de pânico vividos durante o roubo na cidade.

 

O comerciante revelou que no momento da ação dos assaltantes foram disparados muitos tiros para o alto. "Quando cheguei ao banco ouvi alguns estouros fortes. Podíamos sentir os vidros do banco caindo em cima da gente. Os assaltantes nos mandaram tirar a camisa, erguer as mãos e ficar na frente da agência. Eles deram muitos tiros, forraram o chão de bala", relatou.

Na fuga, os ladrões roubaram a caminhonete de Valmenir. "Eles disseram que, se não aparecesse o dono da caminhonete, eles iriam atear fogo. Então eu falei que era o proprietário do veículo, pediram para eu colocar o veículo na frente da agência e deixar as quatro portas abertas", contou.

O comerciante relatou como foi a reação das pessoas que se encontravam dentro da agência. "O desespero maior era das mulheres. Dentro do Sicredi estavam aproximadamente 30 pessoas, já no Banco do Brasil havia cerca de 20 pessoas com dois homens armados atrás deles. Tiros, tiros. Era isso que eu ouvia”, pontuou.

Valmenir relatou como era o local onde parte dos reféns, inclusive ele, foram deixados pelos assaltantes após o roubo. "O grande perigo foi quando os assaltantes nos soltaram, lá no mato, próximo à ponte do Rio Arinos. Ele nos soltaram e atearam fogo em uma caminhonete e seguiram com outros dois veículos com os demais reféns. Eles seguiram em direção a Nova Maringá", completou.

Os ladrões fugiram e, até o fechamento desta matéria, nenhum suspeito havia sido preso pela polícia.

 

Postada por: Ivone Lima

Pontaldoaraguaianews.com

 

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário