11-11-2011-Médica receita água benta a suicida, que manda comprá-la na farmácia.

DIÁRIONEWS

A médica Marisa Judith Bordin, do Hospital Manoel Francisco Guerreiro, de Guaporé (RS), receitou água benta e ajuda espiritual a Mithiele Martins Ramos, que tinha tentado o suicídio naquele dia, 7 de abril de 2009.

Visivelmente abalada, a paciente tinha procurado o atendimento de emergência do hospital na expectativa de receber a aplicação de Dolantina, que é um remédio usado para dores fortes. Mas a médica teria dito que a paciente precisava de "cura de alma".

O caso teve desdobramento judicial, que se prolonga até hoje, porque, na ocasião, Mithiele mandou que seu namorado fosse comprar água benta em uma farmácia, onde ele foi motivo de deboche dos atendentes.

Por isso, a paciente entrou na Justiça contra a médica pedindo uma indenização com o argumento de ter sofrido danos morais.

A juíza Andreia da Silveira Machado, de primeira instância, negou o pedido porque, para ela, não ficou comprovado que Mithiele tivesse sofrido qualquer danos por causa da prescrição de Marisa.

A juíza avaliou que talvez a médica tenha “pecado” ao receitar a água benta, mas não foi um “agir ilícito”.

Mithiele recorreu ao TJ (Tribunal de Justiça) do Rio Grande do Sul, que no dia 19 de outubro deste ano confirmou a decisão de Andreia, negando a indenização.

No entendimento da desembargadora Íris Helena Medeiros Nogueira, relatora do caso no TJ, Marisa ofereceu uma alternativa de tratamento psiquiátrico a Mithiele, mesmo não sendo a água benta uma prática médica.

 A decisão do TJ não é definitiva porque ainda cabe recurso.

 

 

Publicação: Ivone Lima

Pontaldoaraguaianews.com