06-09-2011 - Tangará está entre os 100 municípios do país com maior índice de HIV.

Da Redação

 

Três municípios de Mato Grosso estão entre os 100 do país com maiores índices de contaminação pelo HIV deixando o estado na sétima colocação no ranking brasileiro de pacientes com o vírus. O levantamento do Ministério da Saúde aponta que a Aids segue fazendo vítimas no estado após 30 anos da descoberta da doença.

 Há nove mil pessoas registradas com a doença em Mato Grosso nos últimos 20 anos. De janeiro a agosto deste ano, 420 novos casos foram identificados. Cuiabá, Rondonópolis e Tangará da Serra, segundo o Ministério da Saúde, são os municípios com o maior número de pessoas doentes no estado.

 Para cada 100 mil habitantes, Rondonópolis tinha 36 infectadas em 1997 e, em 2009, esse número subiu para 50, enquanto na capital passou de 38 para 46 nesse mesmo período. Já em Tangará da Serra o crescimento foi mais significativo. Há 12 anos, eram quatro pacientes por cada 100 mil moradores e encerrou 2009 com 32.

 A presidente da Organização Não-Governamental Corações Amigos, Kátia Damascena, diz que a falta de informação ainda é o principal obstáculo no combate à doença. "É preciso ser feito um trabalho mais de corpo a corpo no combate e à prevenção das Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs). A Aids está muito mais próxima do que a gente imagina", alertou.

 POLÍTICA PÚBLICA – Já em Tangará da Serra, um dos grandes problemas enfrentados é a falta de uma política pública eficiente que fez de Tangará da Serra um exemplo de como é possível aumentar o número de doentes de HIV (Aids) em poucos anos.

 Em governos anteriores, Tangará da Serra registrava em média 4,5 casos da doença por ano. A partir do primeiro ano do atual governo (do prefeito Júlio César Davoli Ladeia), os números começaram a aumentar. Somente nos últimos quatro anos, foram 11,25 casos por ano. Um aumento de 150%. Esses números são oficiais e estão dispostos no site do Ministério da Saúde.

 Já os municípios que adotaram políticas de incentivo a eventos públicos e conseguiram conter o avanço da Aids foram eficientes em ações de prevenção, mas eles tiveram a Saúde Pública como prioridade. Entre as ações devem estar a implantação de clínicas especializadas, programas de estímulo a testagem HIV e a redução da transmissão vertical (de mães para bebês durante a gestação).

 

 Fonte: Diário da Serra

 

Publicação: Ivone Lima

Pontaldoaraguaianews.com

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário