05-09-2011-Brasileiros poderão colocar trens em ferrovia feita por grupo de chineses.

De Sinop - Alexandre Alves

 

Empresas de transporte brasileiras poderão alugar a futura malha ferroviária de quase dois mil quilômetros, que um grupo Chinês está se propondo a construir entre Cuiabá e o porto de Santarém, no Pará, e ter suas próprias composições para escoar produtos, garantiu, neste sábado, em Sinop, o governador Silval Barbosa (PMDB).

“Não é um projeto de monopólio, é um negócio aberto a todos os interessados. Inclusive já fomos procurados [governo do Estado] por grupos de investidores brasileiros, espanhóis, um do Chile e outro francês. Qualquer empresa poderá ter composição com vagões para transportar a produção mato-grossense”, disse Silval, em resposta ao Olhar Direto.

Uma estatal que administra cerca de 50 mil quilômetros de trilhos na China está interessada em construir a linha entre Mato Grosso e Pará, com investimentos de R$ 10 bilhões. Três integrantes do grupo chinês estão junto com Silval na ‘1ª Rota da Integração’ e outros seis engenheiros daquele país desembarcam em Santarém nesta segunda-feira (5) para começar os estudos.

Os agricultores do Nortão têm preocupação com um possível monopólio da linha férrea, o que não tornaria o modal de transporte tão atrativo – já que, com apenas uma empresa operando, não há concorrência e os preços do frete tendem a ser altos.

Um dos que se manifesta pela livre concorrência na futura ferrovia é o presidente do Sindicato Rural de Sinop, Antônio Galvan, que, em entrevista ao Olhar Direto, lembrou do monopólio feito pela América Latina Logística (ALL) nos trilhos da Ferronorte. “Não pode haver monopólio nesse modal, como é o caso da Ferronorte, que só tem a ALL explorando. É preciso que seja aberto para participação de mais empresas, que isso gera concorrência e preço mais baixo no frete”, comentou.

A comitiva do governador se dirigiu a Matupá (700 km de Cuiabá), onde pernoita após jantar com lideranças políticas do extremo Norte. Neste domingo, a caravana segue rumo a Morais de Almeida, no Pará. Na segunda-feira o comboio faz o restante do percurso – em trecho onde ainda não é pavimentado – entre Moraes e Santarém, finalizando o ‘estradeiro’ com ato político junto com o governador do Pará, Simão Jatene.

 

 

Postada por: Ivone Lima / pontaldoaraguaianews.com

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário