02/12/2017 - Terras da Imobiliária Pontaleste voltam a gerar polêmica em Pontal do Araguaia.

02/12/2017 - Terras da Imobiliária Pontaleste voltam a gerar polêmica em Pontal do Araguaia.

Um requerimento apresentado pelo vereador Flavio Pereira Machado, o Corujinha – PSD, movimentou os bastidores da política na pacata Pontal do Araguaia-MT, a 508 Km de Cuiabá.

Até a apresentação do requerimento e sua aprovação por unanimidade, no Plenário do Legislativo Municipal, parecia tudo plenamente normal, visto que o objeto do requerimento seria um levantamento dos débitos da Imobiliária Pontaleste com o Município e deste com a Imobiliária Pontaleste, para um possível encontro de contas.

A polêmica de fato começou a partir do momento em que o vereador Corujinha deu declaração à imprensa ligada ao gabinete do prefeito apresentando números e valores, mesmo antes de seu requerimento ser respondido pelo Executivo Municipal.  

O vereador Corujinha eleito pela coligação da ex prefeita Divina Oda e inclusive, mesma sigla partidária da ex prefeita, em um passe de mágica, se tornou líder do prefeito Gerson Rosa na Câmara Municipal e seu principal defensor, até mesmo, nos assuntos mais escabrosos como atraso da folha de pagamento, compras de medicamentos sem licitação e  a falta de transparência na aplicação dos recursos do FETHAB. A partir de então, misteriosamente o vereador despertou seus interesses pelos assuntos relacionados às terras da Imobiliária Pontaleste.

Resta saber se o vereador Corujinha usa o prefeito Gerson Rosa para impor a ideologia do grupo da ex prefeita Divina Oda, sobre a propriedade da Pontaleste ou se Gerson Rosa usa o vereador Corujinha, para cobrar a Pontaleste sem se indispor com a “Família Nogueira”.

Pois, em reportagens publicadas nos sites regionais não dar para entender se o alvo era de fato a Imobiliária Pontaleste ou o Prefeito Municipal. O que ficou evidente, foi uma saraivada de denuncias sobre Gerson Rosa de Moraes, que vão desde a aquisição de terrenos em Pontal do Araguaia a declaração de bens na justiça eleitoral, envolvimento em operação da Polícia Federal e outros processos que a reportagem afirma, através de entrevistados, que ele responde na justiça. Pelo teor da reportagem, me parece que o líder do prefeito vereador Corujinha “atirou no que viu e acertou o que não viu”.            

Dois fatos precisam ser contextualizados:

Primeiro que, a ex prefeita Divina Oda tentou de várias maneiras desapropriar as terras da Pontaleste: por meio de Lei Municipal, que não passou no Legislativo, onde Elismar Nogueira exercia mandato de vereadora e usou suas articulações políticas para rejeitar o projeto; através de Decreto Municipal, que acabou sendo barrado no Tribunal de Justiça e, por fim, incentivando um movimento de invasão.

Segundo que, Gerson Rosa de Moraes foi eleito em 2016 com o apoio da “Família Nogueira”, sobre o compromisso de ajustar as contas com a Imobiliária Pontaleste, fazendo o tão desejado encontro de contas.            

Uma das declarações que mais revoltou alguns dos sócios proprietários da Imobiliária Pontaleste, foi a de que, o grupo possui mais de três mil terrenos sem escritura e que sua dívida com o município ultrapassa a casa dos 11 milhões de reais e que isso promove o entrave econômico de Pontal do Araguaia.

A Secretária Municipal de Educação e ex vereadora Elismar Nogueira, uma das representantes da Pontaleste e da “Família Nogueira” recebeu com perplexidade a divulgação na imprensa regional, de números e valores que se quer foram levantados pela prefeitura.

“Acho que o vereador Corujinha está muito desinformado, em afirmar que a Imobiliária Pontaleste possui mais de três mil terrenos sem escritura. A área da Imobiliária Pontaleste é toda escriturada desde a década de 1960, quando meu pai, Waldemar Nogueira, adquiriu esta área do Sr. Rocha, devidamente escriturada. Portanto, a Imobiliária Pontaleste não possui um palmo, se quer, de terras sem escritura. O vereador precisa se informar, antes de publicar. A vereadora Fabiana, quando fala que seu tio desapropriou terras da Pontaleste, se esqueceu de falar que foi de comum acordo com a administração da Imobiliária para abatimento em um possível encontro de contas, que nunca foi feito. No entanto, desde que o Gerson Rosa assumiu em 2017, tanto a Prefeitura, quanto a Imobiliária, vem trabalhando neste levantamento e muito em breve este problema será solucionado. Todos os vereadores da legislatura passada são testemunhas de que por várias vezes foram feitas tentativas de resolver esse impasse na gestão de Divina Oda, más que, a mesma nunca recebeu os representantes da Imobiliária para tratar do assunto”. Esclarece, Elismar Nogueira.

  

Fonte: Pontal do Araguaia News

texto: Prof. "KK"